Humanização

Humanização

A humanização do Sistema Único de Saúde é possível. E o INASE já está realizando.
Segundo o HumanizaSUS, o acolhimento é a parte das práticas de produção e promoção de saúde que estabelece ser o usuário uma responsabilidade do trabalhador e da equipe, desde a sua chegada até a sua saída. Ouvindo sua queixa, considerando suas preocupações e angústias, fazendo uso de uma escuta qualificada que possibilite analisar a questão e, colocando os limites necessários, garantir atenção integral, resolutiva e responsável.

Para seguir à risca esse conceito, o INASE mantém um grupo permanente de estudos e prática que ajuda a promover o conhecimento e utiliza metodologias específicas a fim de avaliar e assegurar o cuidado com pacientes e colaboradores.

Além disso, o processo de humanização do SUS realizado pelo INASE passa obrigatoriamente pelos seguintes paradigmas:

  1. Valorizar os diferentes sujeitos implicados no processo de assistência: usuários, trabalhadores e gestores;
  2. Fomentar a autonomia e a iniciativa dessas pessoas;
  3. Aumentar o grau de corresponsabilidade na produção de assistência à saúde e de indivíduos;
  4. Estabelecer vínculos solidários e de participação coletiva no processo de gestão;
  5. Mapear e interagir com as demandas sociais, coletivas e subjetivas de saúde;
  6. Defender um SUS que reconhece a diversidade do povo brasileiro e oferece a todos a mesma atenção à saúde, sem distinção de idade, raça, cor, origem, gênero ou orientação sexual;
  7. Mudar os modelos de atenção e gestão, tendo como foco as necessidades dos cidadãos, a produção de saúde e o próprio processo de trabalho em saúde, valorizando os trabalhadores e as relações sociais no trabalho;
  8. Propor um trabalho coletivo para que o SUS seja mais acolhedor, mais ágil e mais resolutivo;
  9. Comprometer-se com a qualificação dos ambientes, melhorando as condições de trabalho e de atendimento;
  10. Comprometer-se com a articulação dos processos de formação com os serviços e práticas de saúde;
  11. Lutar por um SUS mais humano, construído com a participação de todos, comprometido com a qualidade dos seus serviços e com a saúde integral e universal.

Para realizar tudo isso, o INASE conta com uma série de mecanismos bem definidos:

  1. Acolhimento com a classificação de risco, garantindo o acesso com base nos critérios de gravidade e necessidades específicas de cada paciente;
  2. Garantia de resolução da urgência e emergência, provendo o acesso ao atendimento hospitalar e à transferência segura conforme a necessidade dos usuários;
  3. Promoção de ações que garantam a integração com o restante da rede de serviços e a continuidade do cuidado após o atendimento de urgência ou de emergência;
  4. Definição de protocolos clínicos, garantindo a eliminação de intervenções desnecessárias e respeitando a singularidade do indivíduo;
  5. Garantia de participação dos trabalhadores em atividades de educação permanente em saúde;
  6. Promoção de atividades de valorização e de cuidados aos trabalhadores da saúde, contemplando ações voltadas para a promoção da saúde e a qualidade de vida no trabalho;
  7. Organização do trabalho com base em metas discutidas coletivamente e com definição de ferramentas de avaliação, avançando na implementação de contratos internos de gestão.